Facebook UEE
Twitter UEE
Youtube UEE
Instagran UEE

DIA DE GREVE, DIA DE LUTA

Por: Henrique Domingues - 15/03/2017

As "reformas" propostas por Michel Temer, desde que assumiu o comando do país através do golpe de Estado, têm gerado um desconforto generalizado na população. A PEC do teto, a entrega do petróleo para os interesses internacionais, a reforma do ensino médio, a reforma da previdência têm como plano de fundo e grande objetivo a privatização e o lucro de um punhado de empresários que compõem e financiam o consórcio que hoje governa o país.

As medidas impopulares caem ainda mais no desgosto popular quando insulfladas por declarações arcaicas que nem de longe dialogam com a realidade da humanidade em pleno século XXI, como por exemplo o discurso no Dia Internacional da Mulher, que relega o papel da mulher brasileira aos afazeres domésticos. A incompetência de Temer é como um alento para a resistência democrática que encontra nas próprias ações do governo as provas cabais do golpe contra o povo.

Contudo, apesar dos consecutivos erros, o golpe conta com grande poder político conquistado através do poder econômico o que faz com que o projeto alçado ao poder avance a passos largos. De maneira sorrateira e velada a venda dos bens públicos ganha força, seja pelo sucateamento tático dos serviços ou até mesmo pela publicidade agressiva e o saldão de ofertas organizado por governantes, como o prefeito da capital paulista, João Dória, que viajou aos Emirados Árabes para colocar a cidade de São Paulo à venda.

Michel Temer atua através do sucateamento para fortalecer a iniciativa de privatização e é justamente o que acontece com a reforma da previdência. Quando propõe idade mínima de 65 anos e contribuição de 49 anos para que o trabalhador e a trabalhadora possam se aposentar, está inviabilizando a previdência pública para que a iniciativa privada absorva as "demandas de mercado". É natural que a juventude da era da informação migre para a previdência privada ao concluir a impossibilidade de se aposentar via métodos tradicionais.

São curiosas, as medidas de Temer pois ao passo que congela gastos em nome da boa administração dos recursos públicos, perdoa dívidas bilionárias de empresas, faz vistas grossas aos grandes sonegadores de impostos, ao grandes caloteiros da previdência, ao imposto regressivo que prejudica os pobres e financia jantares e artigos de luxo para si e para aliados políticos com o dinheiro do povo. A hipocrisia deste governo que não conta com nenhum voto sequer, é latente.

O povo começa a sentir na pele o pacote de distruição das políticas públicas edificadas ao longo dos governos populares, democráticos e progressistas. Isso promove um caldo de mobilização que pode culminar num momento histórico para as lutas do povo brasileiro que começa a se levantar em defesa dos direitos conquistados ao custo de muito sangue, suor e lágrimas ao longo de muitas décadas.

TODAS E TODOS ÀS RUAS NO DIA DE HOJE! A RESISTÊNCIA CRESCERÁ CADA VEZ MAIS!

#DIRETASJÁ

 

#APOSENTADORIAFICATEMERSAI



   
Tags: Reforma da Previdência
   DENÚNCIAS
Confira as denúncias


© União Estadual dos Estudantes - 2014 / 2017
Rua Vergueiro, 2485 - Vila Mariana
contato@ueesp.org.br
(11) 5539-2342

Site criado por: Piovezam Soluções Web